Comprar imóvel na planta: 7 Vantagens e Desvantagens

COMO FUNCIONA O FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS NA PLANTA?

Quem nunca quis comprar um apartamento a um preço mais baixo e ainda conseguir realizar o sonho da casa própria? Se esse é o seu desejo, uma boa estratégia é a aquisição de imóveis na planta.

Para a maioria das pessoas, a saída encontrada para realizar esse investimento é a contratação de um financiamento. Nesse contexto, vale lembrar que, quando se deseja obter um imóvel ainda em construção, essa modalidade de empréstimo possui algumas particularidades.

Se você tem o sonho de conquistar a casa própria, entender como funciona o financiamento de imóveis na planta pode ser crucial. Por isso, continue a leitura deste artigo e descubra as principais vantagens dessa opção!

O financiamento de imóveis na planta

Todo mundo sabe que comprar um imóvel não é fácil. É necessário que se faça um bom planejamento financeiro e muitos sacrifícios para que se consiga transformar esse sonho em realidade.

Logo, para facilitar a conquista de seu objetivo, é fundamental que o comprador busque algumas maneiras de economizar. Nesse sentido, a aquisição de um imóvel ainda em construção se torna uma ótima opção.

Ao adquirir um imóvel na planta, você deve estar ciente de que está comprando uma promessa. Logo, para compensar os riscos, as construtoras cobram um valor mais baixo do que seria cobrado pela mesma unidade pronta. Assim, além de economizar, ao realizar esse tipo de negócio, existe uma alta probabilidade de valorização do apartamento.

Para não ser necessário passar anos acumulando dinheiro para adquirir o imóvel à vista, muitas pessoas recorrem à contratação de um financiamento imobiliário. Nesse caso, como o imóvel ainda não está construído, esse tipo de empréstimo possui algumas particularidades.

Como funciona o financiamento de imóveis na planta

A compra financiada de imóveis na planta é composta por duas etapas: pré entrega das chaves e pós entrega das chaves. Durante o período de conclusão das obras, que gira em torno de 16 a 36 meses, o comprador pagará apenas os valores de entrada do imóvel e as primeiras parcelas do mesmo.

A princípio, a entrada para imóveis na planta possui um valor superior se comparada à entrada de imóveis prontos. Esse valor será utilizado pela construtora para tocar as obras e evitar que um dos maiores medos de quem opta por essa modalidade aconteça: atraso no prazo de entrega firmado em contrato.

Ainda durante o período de conclusão das obras, o comprador também pagará as primeiras parcelas do imóvel, tendo como opção diluir o valor da entrada entre essas parcelas.

Outra diferença em relação ao financiamento convencional é que, antes da data de entrega das chaves, a construtora não poderá cobrar juros em decorrência do pagamento parcelado. Sobre essas parcelas, será aplicada apenas correção monetária com base no Índice Nacional de Construção Civil (INCC).

Após a entrega das chaves, o comprador deverá decidir se pagará à vista o saldo restante ou se optará por um financiamento. Essa escolha também pode ser feita no ato da compra e assinatura do contrato, antes da entrega das chaves, mas comumente é feita só depois.

Como são poucas as pessoas que possuem uma quantia suficiente para quitar o imóvel na assinatura do contrato, o que seria o ideal, o financiamento é geralmente a melhor opção.

Para quem optou pela compra na planta, nesse momento, surgem os principais benefícios dessa modalidade em comparação ao financiamento tradicional de imóveis prontos. A seguir, veja alguns:

Benefícios do financiamento de imóveis na planta

Quando uma construtora inicia um empreendimento imobiliário, por vezes, ela também precisa se financiar. Diante disso, para quem está comprando o imóvel que será construído e opta por financiá-lo junto à construtora, várias vantagens podem ser obtidas em relação a prazos, número de parcelas e taxa de juros.

Esses benefícios podem ser ainda maiores em casos como o da MRV, que, por possuir anos de atuação e já estar bem estabelecida no mercado, possui financiadora própria.

Além disso, outro fator também contribui para tornar a taxa de juros de um financiamento de imóveis na planta atraente: o tempo. Como se trata da aquisição de um bem que ainda não existe, para compensar esse ponto negativo, muitas instituições financeiras e construtoras reduzem generosamente a taxa de juros, chegando até mesmo a cortá-la pela metade.

Dicas

Na hora de contratar um financiamento para a compra de um imóvel na planta, é necessário tomar alguns cuidados. Existem alguns riscos que deverão ser minimizados por meio de algumas ações simples:

Tenha um bom planejamento financeiro

Como dissemos, realizar o sonho da casa própria não é nada fácil, pois é necessário que se realize um alto investimento. Dessa maneira, para que se consiga captar todo o recurso necessário, é preciso ter um bom planejamento financeiro.

Normalmente, para realizar a compra do imóvel na planta, a construtora exigirá do comprador um valor de entrada, o qual poderá ser parcelado. Nesse momento, é essencial conhecer as suas condições financeiras, pois não é uma boa ideia comprometer mais que 30% de seu faturamento para o pagamento das parcelas.

Após a entrega das chaves, será necessário quitar o valor restante do apartamento, sendo muito comum a contratação de um financiamento para a captação dos recursos. Assim, é fundamental ter as contas pessoais sob controle por alguns anos para não se endividar e conseguir honrar os seus compromissos.

Conheça a construtora

Sem dúvida nenhuma, um dos momentos mais importantes para evitar que futuras dores de cabeças ocorram é a escolha da construtora de seu próximo apartamento. Os cuidados devem ser redobrados quando se vai comprar um imóvel na planta.

É fundamental escolher uma que não esteja endividada e que tenha um bom reconhecimento no mercado. Desse modo, anula-se os riscos de possíveis problemas e, na pior das hipóteses, de que você não receba o apartamento comprado.

Assim, é fundamental pesquisar sobre o passado da incorporadora e conhecer melhor os empreendimentos já feitos por ela. Esses dados podem ser encontrados nos órgãos de defesa do consumidor, no balanço semestral para acionistas e por meio de conversa com pessoas que vivem em apartamentos construídos pela empresa.

Leia atentamente toda a documentação

Por se tratar de um imóvel em construção, é fundamental ter um bom conhecimento sobre o contrato de compra e venda. Nele, serão especificadas todas as informações sobre o negócio: tamanho do apartamento, valores, forma de pagamento, multas pelo atraso do pagamento das parcelas, prazo de conclusão da construção, multa pelo atraso da obra etc.

Outro documento importante é o memorial descritivo. Nele, você terá conhecimento sobre todos os aspectos do imóvel que receberá no futuro, como os materiais que serão utilizados durante a construção e o padrão do acabamento. O memorial é fundamental para se ter um controle sobre o que foi prometido pela incorporadora.

Devido aos grandes benefícios encontrados, como o preço mais baixo e a possibilidade de valorização, é cada vez mais comum a aquisição de imóveis na planta. No entanto, devido às dificuldades encontradas para quitar a compra à vista, pode ser necessário contratar um financiamento — cujas particularidades você viu no post de hoje.

Caso você tenha gostado dessas dicas e queira receber mais artigos como este na sua caixa de e-mail, assine nossa newsletter e tenha em primeira mão as novidades de nosso blog!